quinta-feira, 10 de abril de 2014

Pensar e não agir por impulso


 Pense antes de agir ou dizer para fazer o que é certo nas várias circunstâncias. Muitas  vezes, a ideia do que é a coisa certa vem tarde demais.
 Concentre-se no momento e pergunte a si mesma, o que seria a coisa certa a ser feita naquele momento. Prestar atenção ao que poderia fazer lhe dá a chance de fazer o que é certo, antes que seja tarde demais. Saber que você fez a diferença no dia de alguém por um pensamento ou algumas palavras de carinho vai lhe garantir um brilho todo especial. Ilumine a sua vida e a de outros ao seu redor, falando coisas gentis, úteis e inspiradoras.
 As pessoas cometem tantos erros na vida porque não refletem no que estão fazendo, simplesmente agem por impulso, e quando veem já tem feito, não tem como voltar atrás.
 Olhando para o nosso tempo, constatamos que vivemos dias mareados pela impulsividade e precipitação. O consumismo tem feito muitas pessoas comprarem sem pensar se poderão arcar com a dívida. Na vida afetiva muitos tem se entregado a emoções, desejos e prazeres em detrimento ao compromisso, futuro ou responsabilidade.
Até mesmo as relações amorosas sã confusas,o resultado é que namorados se tornam pais pelo menos uma década antes do tempo que estariam amadurecidos emocional e financeiramente para o casamento. Mas nem mesmo o casamento está a salvo(casais com anos de vida juntos se separam por pura impulsividade, trocando anos de casamento e toda a estabilidade familiar por uma aventura . Outros não colocam freios em suas próprias palavras e passam da gentileza para a grosseria sem um mínimo de esforço) por que agem por impulso.
 Em tempos onde é normal agir por impulso, pensemos nos nossos atos. Tudo que fazemos tem consequências, boas ou más. Que o “perfume da nossa vida” não seja estragado por cinco minutos de “bobeira”. Pois “assim como algumas moscas mortas podem estragar um frasco inteiro de perfume, também uma pequena tolice pode fazer a sabedoria perder todo o valor”.
ANA CAROLINA BARTH

EEB. DAVD PEDRO ESPÍNDOLA

5 comentários:

  1. Gostei muito do teu texto amigo Eliseu. Em poucas palavras conseguiu sintetizar com clareza o nosso cotidiano. Penso da mesma forma que você. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Na verdade o texto é da Ana Carolina, eu publico os melhores textos, então os créditos vão para ela, uma adolescente inteligente e com grande potencial.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por publicar meu texto professor! Fiquei muito feliz, e obrigada pelos elogios. Um grande abraço pra você!

    ResponderExcluir
  4. A Neurociência define isso como pessoas com um Cérebro predominantemente Reptiliano, responsável por atitudes impulsivas, territorialistas e agressivas. Talvez, a melhor maneira de controlar isso seja saber mais sobre o funcionamento de nosso cérebro.

    ResponderExcluir